Campo Grande-MS 26.06.2017
Medicina da dor
Terça-Feira, 17.11.2015 às 13:00
Medicina da dor
Neuralgia do trigêmeo, uma das piores dores do mundo
Rodrigo Fernandes
Para o Portal Top Vitrine
Dr. André Mansano

A neuralgia do trigêmeo é um distúrbio nervoso caracterizado por episódios de dor lancinante no rosto.

 

A doença atinge até 27 indivíduos em cada grupo de 100 mil pessoas por ano.

 

A neuralgia do trigêmeo é conhecida por causar um tipo de dor comparada a choques, pontadas e agulhadas.

 

A dor que pode ser desencadeada por estímulos inofensivos, como mastigação ou escovação de dentes, é sentida em diferentes regiões da face dependendo do ramo do nervo trigêmeo afetado.

 

Recebe esse nome porque tem três ramos: o ramo oftálmico, o ramo maxilar e o ramo mandibular.

 

“O tratamento inicial da neuralgia do trigêmeo é feito por meio do uso de medicamentos anticonvulsivantes, que têm a propriedade de estabilizar os impulsos nervosos”, explica o Dr. André Mansano, médico intervencionista da dor, especializado no tratamento de dores crônicas.

 

O médico afirma que "estes remédios são capazes de controlar os sintomas em aproximadamente 70% dos casos".

 

Um estudo publicado na revista médica “Neurosurgery” avaliou a eficácia do tratamento com a radiofrequência em pacientes com neuralgia do trigêmeo.

 

Analisando 1.600 pacientes submetidos ao procedimento, os autores concluíram que o procedimento é altamente eficaz, podendo ser repetido nos casos em que ocorra recorrência da dor.

 

Mais de 95% dos pacientes obtiveram alívio da dor imediatamente após o procedimento sendo que esse número permaneceu extremamente alto nos pacientes que foram submetidos a novos procedimentos.

 

Trigêmeo

 

Nos casos em que o tratamento com medicamentos não é efetivo, existem duas técnicas para aplicação pela pele, sem cirurgias ou cortes: a rizotomia por radiofrequência do trigêmeo e a compressão do trigêmeo por balão.

 

A primeira - a rizotomia por radiofrequência do trigêmeo - consiste provocar uma lesão térmica de um ou mais ramos do trigêmeo, realizada por uma agulha com uma ponta ativa capaz de distribuir calor de forma controlada.

 

Já a segunda - compressão por balão do nervo trigêmeo - consiste numa lesão isquêmica do nervo, que tem a capacidade de inativar temporariamente o nervo, resultando em conforto para o paciente.

 

"Em ambos tratamentos, em mais de 95% por casos, o alívio da dor foi imediato após o tratamento", conclui o Dr. André.

 

Dr. André Marques Mansano, MD, Ph.D, FIPP


É graduado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina. Recebeu do Instituto Mundial de Dor (World Institute of Pain) um título internacional denominado Fellow of Interventional Pain Practice, na cidade de Budapeste, capital da Hungria. É médico Intervencionista da Dor na SINGULAR - Centro de Controle de Dor e no Hospital Israelita Albert Einstein (SP). Área de Atuação em Dor pela Associação Médica Brasileira (AMB). Coordenador do Módulo de Dor da Pós-Graduação em Anestesiologia do Hospital Israelita Albert Einstein. Membro do Comitê de Educação do World Institute of Pain e Membro do Comitê Científico da Sociedade Brasileira dos Médicos Intervencionistas em Dor.

 

Serviço

 

www.medicinadador.com

13 NOVEMBRO - SEX
Meu corpo não sai de férias
26 JULHO - SAB
É possível emagrecer dormindo?
13 ABRIL - SEX
Excesso de peso
27 AGOSTO - QUI
Primeira consulta com o psicólogo?
Busca Detalhada
Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja em termos de noticías.