Campo Grande-MS 28.06.2017
Enxaqueca: uma doença que atinge 30 milhões de brasileiros
Sexta-Feira, 15.01.2016 às 11:08
Enxaqueca: uma doença que atinge 30 milhões de brasileiros
A enxaqueca é a décima doença mais incapacitante, segundo a OMS
Rodrigo Fernandes e Patricia Limeira
Para o Portal Top Vitrine
Divulgação
Dr. André Marques Mansano

Dados da Organização Mundial da Saúde, OMS, revelam que a enxaqueca é a décima doença mais incapacitante, atingindo 15 % da população mundial. No Brasil, segundo o ministério da saúde, a enxaqueca atinge mais as mulheres do que os homens.

 

“Ocorre principalmente pelas alterações hormonais que as mulheres estão sujeitas durante o ciclo menstrual.”, ressalta o Dr. André Mansano, especialista no combate a dor.

 

Quem sofre de enxaqueca sabe que a dor é muito forte. E essa dor pode durar até 72 horas e nem sempre os remédios ajudam a controlar os sintomas. A enxaqueca é mais comum em pessoas com idade entre 25 e 45 anos. As causas exatas são desconhecidas, embora se saiba que elas estão relacionadas com alterações do cérebro e possuem, até mesmo, influência genética.

 

“Existem fatores desencadeantes da enxaqueca como o estresse e a ansiedade. Jejum prolongado, falta de sono e sedentarismo também podem contribuir para desencadear a enxaqueca. Assim como, a ingestão de alguns alimentos específicos como vinho e chocolate.”, explica o especialista.

 

A principal diferença entre a dor de cabeça e a enxaqueca está na duração dos sintomas. Mas existem outras diferenças.

 

“Usualmente a enxaqueca se concentra de um lado só da cabeça, embora possa ocorrer dos dois lados. Ela está associada a fotofobia, o incômodo gerado pela luz e a fonofobia provocada pelo barulho. Pode-se graduar a enxaqueca de acordo com a intensidade, numa escala que vai de 0 a 10, onde 0 é a ausência de dor e 10 a maior dor que o paciente possa suportar. Acima de 7 já é uma dor muito intensa.

 

“Também podemos classificar de acordo com o número de dias que o paciente sofre com os sintomas. Abaixo de 15 dias por mês seria uma enxaqueca episódica. Acima de 15 dias por mais de 3 meses já seria uma enxaqueca crônica. Chegando ao absurdo do paciente ter enxaqueca todos os dias, onde se caracteriza como uma cefaleia crônica diária.”, explica o Dr. André.

 

Existem mais de 150 tipos de cefaleia, a enxaqueca é uma delas. Diante disso, a primeira atitude buscar um diagnóstico correto da dor.

 

“Com o diagnóstico confirmado em enxaqueca, o paciente deve evitar os fatores desencadeantes. Alimentar-se de 3 em 3 horas, ter  qualidade no sono, evitar estresse e ansiedade, não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas. Estas são atitudes disciplinadoras que previnem a enxaqueca.”, conclui o Dr. André.

 

Dr. André Marques Mansano, MD, Ph.D, FIPP

 

Doutor André é graduado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina.Recebeu do Instituto Mundial de Dor (World Institute of Pain) um título internacional denominado  "Fellow of Interventional Pain Practice”, na cidade de Budapeste, capital da Hungria.É médico Intervencionista da Dor na SINGULAR - Centro de Controle de Dor e no Hospital Israelita Albert Einstein – SP. Área de Atuação em Dor pela Associação Médica Brasileira (AMB).Membro do Comitê de Educação do "World Institute of Pain" e Membro da Sociedade Brasileira dos Médicos Intervencionistas em Dor.

 

Serviço

 

www.drandremansano.com.br

05 JANEIRO - SEG
Já ouviu falar em lipocavitação?
25 JANEIRO - QUA
Com o tempo contado
20 JULHO - SEG
Dores nas costas: mitos e verdades
28 OUTUBRO - SEG
Síndrome da Visão de Computador
Busca Detalhada
Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja em termos de noticías.