Campo Grande-MS 27.07.2017
Como escolher o nome do pet?
Segunda-Feira, 04.04.2016 às 07:00
Como escolher o nome do pet?
Algumas questões devem ser observadas ao escolher o nome do cão ou gato
Mais Que Pet
Para o Portal Top Vitrine
Divulgação/Mais Que Pet
Dirija-se a ele com tom amistoso

Os animais de companhia interpretam os sons de forma diferente de nós, humanos.

 

Portanto, na hora de escolher o nome do seu melhor amigo, leve em conta essa e outras diferenças, e não só o seu gosto pessoal.

 

O resultado? Ele responderá prontamente ao ser chamado.

 

Veja nossas dicas

 

* Para que o animal se acostume com seu nome, é importante que toda a família use o mesmo termo, especialmente quando ele é filhote ou quando acabou de chegar na família. Se uma pessoa diz Toy, outra diz Tó e uma terceira diz Toyzinho, ele ficará confuso. Nessa fase, vale até repetir o nome com mais frequência, para que ele associe a palavra a si mesmo. Outras dicas: dirija-se a ele com tom amistoso e recompense sempre que ele obedecer ao chamado do nome. Também use no nome na hora do passeio.

 

* Evite batizar o pet com palavras usadas no cotidiano. Novamente, ele pode ficar confuso e deixar de responder quando for chamado.

 

* Não use o nome do pet ao fazer correções de comportamento. Diga apenas “não!”.

 

* Os cães têm mais facilidade para entender palavras curtas, terminadas em vogais. Portanto, “Lui” é um nome melhor do que “Lindo Floco de Neve”. Seguindo a mesma lógica, ao repreender um cachorro, evite dizer “eu já disse para não fazer xixi no pé do sofá!”. Ele não compreenderá.

 

* Cães tendem a responder mais prontamente ao seu nome do que os gatos. Esse é um comportamento natural, que não deve causar decepção.

 

* Evite batizar o pet com nomes que lembrem o som da palavra “não”, como Fofão, Bolão, Coração, Tião. Esse som deve ser usado apenas para corrigir o comportamento.

 

* Nomes que rimem com os comandos básicos – fica, senta, busca, deita e rola – também devem ser evitados. Uma cachorrinha chamada Lica, por exemplo, pode se confundir com o comando. 

 

* Usar nomes humanos pode não ser uma boa ideia. Um cão é um cão, um gato é um gato. Escolher um nome de pet pode ajudar a evitar a humanização, que é muito prejudicial a todos.

 

* Quem tem mais de um animal de companhia deve evitar nomes parecidos, para que os pets não se atrapalhem.

 

* Tenha bom senso. Não batize o pet com nomes que possam gerar gozação das pessoas ou com termos pejorativos.

 

Como mudar o nome de um cão?

 

A situação é comum: um cão é adotado de uma ONG e os novos donos decidem mudar o nome. Nesse cenário, mesmo que ele seja adulto, basta repetir a palavra com frequência e promover o reforço positivo sempre que ele “responder”, como já contamos. Isso pode ser feito com petiscos, carinho, durante o passeio. Também é importante não pronunciar o nome antigo no início da transição. Para os animais, o nome não tem um “sentido”, não representa uma história na sociedade ou na família. Portanto, não há nenhum problema em mudá-lo.

 

Os nomes preferidos

 

No Brasil, os nomes de pets mais comuns, segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal, são Mel, Nina, Billy, Bob, Susi, Princesa e Rex. Nos Estados Unidos, os nomes mais usados são Max, Molly, Buddy, Bella, Jake, Lucy, Bailey, Maggie, Rocky e Daisy.

 

Serviço

 

Revista Mais Que Pet

www.maisquepet.com.br

Telefone (17) 3012-6184

31 AGOSTO - SEG
Tem pet no escritório
08 OUTUBRO - QUA
Cinco sentidos para a caça!
17 JULHO - QUI
Mais saudade do marido ou do cachorro?
01 ABRIL - QUA
A temida cinomose
Busca Detalhada
Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja em termos de noticías.