Campo Grande-MS 24.08.2017

Comunicação Pessoal

Aurea Regina de Sá

compartilhe:

TER, 22.03.2016

Não aceito a sua opinião

Por que ele estaria errado? O pensamento dele não é igual ao meu?

Comunicação Pessoal

Para o Portal Top Vitrine

João está errado. Eu é que estou certa. É dura essa conclusão, não é mesmo?

 

Quando eu penso dessa maneira, coloco uma barreira na minha relação com o outro, porque não me permito ouvir o que ele pensa, aprender com o que ele acredita e me mantenho no alto do pedestal, que até parece ser mais elevado do que o de qualquer pessoa.

 

Distância, rejeição e falta de flexibilidade é o que eu manifesto com um comportamento desses.

 

Quando eu penso que o outro está equivocado, eu decido que ele está errado em relação à minha postura, à minha forma de pensar. É uma conclusão taxativa. Pior que isso é dizer ao outro: você está equivocado! Imagine como se sente uma pessoa ouvindo isso.

 

Poxa, é a forma que ele tem de pensar. Por que ele estaria errado? O pensamento dele não é igual ao meu? Mas quem falou que todos iriam pensar como eu? Seria até muito chato se isso acontecesse.

 

Agora se eu penso: "Ele tem uma percepção diferente da minha", estou agindo como um comunicador gentil e entendo a opinião contrária da outra pessoa, o que mostra uma posição mais flexível, ou seja, eu reconheço que o outro pensa de outro jeito, porque percebe a situação de outra maneira.

 

E nossa postura está sempre ligada a realidade que temos, à bagagem e as crenças que carregamos, por isso as opiniões são diferentes.

 

Na medida em que eu me permito ouvir o que o outro pensa, estou ampliando a minha percepção.

 

O antagonista, por mais incrível que pareça, sempre nos favorece, porque nos faz pensar fora da caixa, com uma outra visão. E isso não quer dizer que eu tenho, necessariamente que mudar a minha opinião, apenas seria interessante que eu ouvisse o que o outro tem a dizer.

 

Tem gente que avisa no Facebook que vai eliminar usuários que não pensam como ele. Não é fácil ter um milhão de amigos como canta Roberto Carlos.

 

Para conviver bem, é preciso respeitar o outro; ouvir o outro – sem necessariamente acatar a opinião dele – apenas considerar o que ele pensa. Isso pode me ajudar, inclusive a aprender mais. Pode ser que eu nunca pense como ele, mas posso pelo menos escutá-lo?

 

É importante destacar que a prática das virtudes modela um comunicador. Com a paciência você pode suportar as opiniões contrárias, sem reclamar; sendo tolerante, você aprende a ter disposição para ouvir com paciência as opiniões contrárias.

 

Se o foco estiver em você, o ganho maior será seu: sem irritação, a sua saúde agradecerá pelo novo comportamento. Se você enxergar o outro e praticar a empatia, o benefício será dos dois. Com aceitação, é possível desenvolver boas relações, tirar bom proveito de situações que a princípio seriam conflituosas.

 

Seu maior sonho seria que o mundo vivesse a paz? Comece promovendo a paz nos seus relacionamentos, simplesmente ouvindo e respeitando o outro. É bastante possível plantar isso no nosso dia a dia.

 

Fica aí o convite: experimente.

O Portal Top Vitrine não se responsabiliza por artigos assinados ou de origem definida.

QUI, 10.03.2016

O que é ser arrogante pra você?

Há confusão sobre ser arrogante e saber se posicionar

Comunicação Pessoal

Para o Portal Top Vitrine

Alguém que conhece seu lugar, toma posse do seu espaço, tem firmeza na fala e nos gestos é arrogante?

 

Contar os feitos... pode ser... desde que seja pra compartilhar, não pra se gabar. Mostrar conteúdo também pode. E é bonito quando o motivo maior é distribuir, afinal conhecimento guardado, é conhecimento perdido.

 

Usar comparativos, do tipo: sou o melhor, sou o ‘bam bam bam’ do pedaço... hum... aí paira uma dúvida. Quem é bom precisa dizer ou tem quem diga por ele?

 

Há confusão sobre ser arrogante e saber se posicionar. Na dúvida, tem gente que nem se apresenta; com receio de ser mal interpretado, acaba sendo. Imagina uma reunião de negócios, uma aula ou palestra em que o guia, o orador, não diz a que veio. A plateia fica no escuro, sem saber que rumo tomará o evento.

 

O nível de credibilidade depende do modo como nos comunicamos. E não é só o conteúdo, mas a forma. Eu posso falar que ganhei um prêmio, com os olhos cheios de emoção, grata pela homenagem e alegre por compartilhar minha vitória. E também posso divulgar a mesma notícia com um ar de superioridade, evidenciado pelo não verbal e pela fala, com a intenção de mostrar que me julgo melhor ou mais importante.

 

Um bom comunicador se faz pela prática das virtudes. As virtudes que as vezes esquecemos de exercitar por acharmos desnecessário, sofisticado demais. O dia em que a gentileza perder o sentido, que a paciência estiver fora de moda ou que a solidariedade não tiver mais espaço entre nós tudo terá acabado. Nem comunicação mais existirá: seja a comunicação verbal, que alguns intolerantes deixam de praticar com a hostil desculpa de que não adianta falar, ou a comunicação escrita que outros deixarem de revisar antes do enter por apostarem na cruel transparência.

 

Tudo o que é exagerado é do mal. Tudo, quase tudo. Dosar a hora de falar ou calar. Medir a intensidade das palavras para não machucar, é preciso. É fundamental olhar no espelho, olhar para dentro e avaliar a real necessidade de se sobrepor a outros. Qual é o ganho? Qual é a vantagem?

 

Bater no peito e dizer que já ganhou, sem que o jogo tenha acabado pode ser um risco à imagem e à vida. Pode ser um comportamento defensivo de quem tem receio de ser contrariado e não aprendeu a administrar os nãos com o tempo. A criança grita quando um brinquedo lhe é tirado das mãos; o adulto não. Assim formamos o nosso bom conceito; é como o nosso RG, é a nossa identidade, é o que nos faz únicos, exclusivos. Saber se posicionar é encontrar seu caminho, ser coerente com sua missão, ser conhecedor de seus desafios e responsabilidades. Posicionar-se mostra maturidade, autorrespeito. Arrogância ainda requer aprendizado, é demonstração de falta de honestidade consigo mesmo, é fraqueza de caráter.

 

Aos arrogantes, a torcida para que se conheçam e se desenvolvam. Tirem da mente a ideia de que são perseguidos. Mudem o discurso de vitimização já.

 

Aos que sentem constrangimento ao tomar posição, só um lembrete: você merece estar onde chegou. Desfrute da sensação de ter atingido o que alcançou. Só quem sente que merece pode agradecer. Só quem agradece, pode compartilhar o que sabe, o que aprendeu.

 

Eu convido você a refletir sobre o merecimento. Sem modéstia, tome posse do que é seu. Sinta-se grande! Você pode e deve continuar sendo humilde, mas sem se anular. Isso sim é saber se posicionar, o que não tem nenhuma relação com ser arrogante.

O Portal Top Vitrine não se responsabiliza por artigos assinados ou de origem definida.

TER, 01.03.2016

Você sabe convencer alguém em apenas 90 segundos?

Existem três passos simples para alcançar o nível de convencimento

Comunicação Pessoal

Para o Portal Top Vitrine

Você sabe convencer alguém em apenas 90 segundos? Não me refiro à mágica, mas sobre como usar o melhor que você tem para transmitir uma primeira impressão vendedora.

 

Segundo o empresário canadenese e mestre em programação neurolinguística, Nicholas Boothman, autor do livro ‘Como convencer alguém em 90 segundos’, existem três passos simples para alcançar o nível de convencimento em uma interação pessoal ou comercial.

 

Permaneça no topo da lista. Isso significa estar na memória do cliente quando ele tiver o desejo de tomar a decisão de compra. Não adianta nada criar uma grande primeira impressão se depois ele fecha o negócio com outro.

 

Boothman diz que não é uma questão de sorte. Ser a pessoa certa, no lugar certo e na hora certa, significa estar em destaque na memória de alguém. E, para isso, vale muito aquela máxima de ‘quem não é visto, não é lembrado’.

 

O autor sugere que você não deixe expirar o prazo de validade da conexão, que não deve passar dos 90 dias sem renovação.

 

Você deve estar me perguntando: o que é que eu faço nesse período de 90 dias para estar presente na memória do meu cliente ou de um contato? Confira a sugestão:

 

Mande um presente para ele: não precisa ser um presente caro, mas você pode enviar um link interessante por email (não estou falando de spam, hein!), apresentar um contato bacana, fazer um convite para um evento da área dele, ou seja, algo que o deixará grato e, de uma certa forma, com vontade de retribuir a atenção a você.

 

Capture a atenção e vai capturar o coração. Pense nisso: toda vez que você tem a atenção de alguém, porque se dedicou pra isso, foi respeitoso, olhou nos olhos, você tem o coração dessa pessoa também. Imagine-se num restaurante. Já experimentou chamar o garçom pelo nome por que leu o crachá dele, pedir por favor e olhar nos olhos dele? Não só por educação, mas por gratidão, ele atenderá você como se fosse um rei. Isso também funciona com clientes e outros contatos. Reforço que é importante fazer isso de forma genuína, seja verdadeiro, sem segunda intenção explícita. O que vai, volta. É a lei!

 

Na verdade não se trata de fazer mágica durante os 90 segundos em que tem ali na sua frente alguém pra quem deseja vender um produto, serviço ou uma ideia. É preciso estar vivo na memória do outro para que ele privilegie você.

 

A chave é a atitude. Chave pra quê? Pra convencer, pra emocionar, e para permanecer na memória de alguém: pode ser um contato para um relacionamento pessoal ou profissional.

 

Atitude é uma mistura de ações, sentimentos e pensamentos que juntos promovem um só resultado: impacto relevante da sua pessoa para com os outros. E se você não estiver aqui para fazer a diferença na vida de alguém, pra que você veio então?

O Portal Top Vitrine não se responsabiliza por artigos assinados ou de origem definida.

de 3

Comunicação Pessoal

Apaixonada pela Comunicação como ferramenta de desenvolvimento pessoal, Aurea Regina de Sá é jornalista e Coach de Comunicação. Tem pós-graduação em Comunicação Pública, formação em Coaching e Programação Neurolinguística. É referência nacional como especialista em Media Training, treinamento que capacita profissionais para o relacionamento com a imprensa. Sempre motivada a cumprir a missão de ajudar as pessoas a se desenvolverem como comunicadoras, Aurea distribui podcasts semanais pelo whatsapp. Para cadastro gratuito, visite o site www.aureareginadesa.com.br/dicas. Aurea Regina é articulista do Portal Top Vitrine desde janeiro de 2016.

Filtrar Resultados

Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja.

Blogs & Colunas

Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja.